O Objetivo deste Blog é divulgar artigos e documentos interessantes para a história de Lages e para a história e genealogia das famílias dos seus primitivos povoadores.

[As publicações deste Blog podem ser utilizadas pelo(a) interessado(a), desde que citada a fonte: KOTCHERGENKO, Tânia Arruda. Nome da postagem in blog Lages Hístórica, Disponível em http://lageshistorica.blogspot.com.br]

28 de maio de 2009

Antigos Proprietários Rurais de Lages - Marcelo Meira Amaral Bogaciovas - Premio ASBRAP 1999

"Antigos Proprietários Rurais de Lages" é o título da pesquisa realizada pelo paulista Marcelo Meira Amaral Bogaciovas, trabalho meritóriamente reconhecido com o Premio da Associação Brasileira de Pesquisadores de História e Genealogia de 1999 e publicado na Revista ASBRAP n.6 (fls 9 a 91). Trata-se, indubitávelmente, do mais profundo e amplo estudo realizado até o presente sobre as antigas propriedades rurais de Lages, contendo também preciosas informações sobre seus proprietários, incluindo suas origens e informações genealógicas. A pesquisa ainda é enriquecida por apresentar uma exposição sobre questões históricas e legais relacionadas à ocupação de terras pertinentes à vasta extensão territorial da antiga Villa de Nossa Senhora dos Prazeres de Lages, subordinada então à Capitania de São Paulo.
Mais do que um trabalho de pesquisa de altíssimo nível técnico e vasta abrangencia, realizado pelo autor entre 1990 a 1999 em diversos acervos de Lages e São Paulo, é também uma grande homenagem prestada pelo mesmo aos pioneiros povoadores de Lages e a todos os lageanos. Nas próprias palavras do autor:
"Dedico este artigo ao povo lageano, de ontem e de hoje. Aos heróis conhecidos e anônimos. Oxalá ele possa ser de interesse para uma melhor compreensão do seu passado e de suas origens. Ficarei recompensado se ele puder facilitar a tarefa dos que se propuserem a escrever mais detalhadamente sobre a sua história e a sua gente. Parece-me ser esta a melhor contribuição que um paulista, como eu, poderia dar".
Sendo impossível comentar, à altura do merecimento, em um artigo neste blog, a extensão e riqueza de tal trabalho, deixamos registrada nossa opinião pessoal de ser o trabalho de Bogaciovas leitura obrigatória para os que se interessam pela história de Lages e em especial à história de nossa antigas propriedades rurais e dos pioneiros povoadores de Lages. Nosso reconhecimento e pleito de gratidão ao autor fica aqui registrado.
Em "Antigos Proprietários Rurais de Lages", hoje fonte primordial às pesquisas sobre a primitiva ocupaçao e povoamento da região de Lages, buscamos compulsar e apresentamos a seguir (de forma resumida e por ordem cronológica) informaçoes sobre as 10 Sesmarias constantes do "Repertório das sesmarias concedidas na villa de Lages, extraidas dos Livros de Sesmarias, Patentes e Provisões" depositadas na Divisão de Arquivo do Estado de São Paulo - DAESP. Informações detalhas sobre as mesmas Sesmarias são apresentadas por Bogaciovas, em seu trabalho (Revista ASBRAP n.6, 1999, fls 27 a 35) disponível on line em http://www.asbrap.org.br/ .

SESMARIAS
06/08/1768 - Moradores dos Campos de Lages - Igreja Matriz .
Concedida da cidade de São Paulo, sendo Governador o Morgado de Mateus. Em 12/03/1974 um acordão do STF, por unanimidade , não reconheceu o direito da Mitra. O parecer da Procuradoria Geral da República amparou-se no fato de que a referida sesmaria não foi confirmada pelo Rei de Portugal.
01/10/1772 – Manuel Barbosa Franco – campos na paragem das Cabeceiras do rio das Caveiras.
Concedida da cidade de São Paulo, sendo Governador o Morgado de Mateus.
Antigos Proprietarios (Posse):
Confrontantes: Sebastião Pinto e Simão Barbosa.
17/05/1773 - Antônio Gonçalves Padilha - Fazenda Nossa Senhora da Natividade.
Concedida da cidade de São Paulo, sendo Governador o Morgado de Mateus. Ainda não havia a Câmara. Foi ouvido o Capitão Mor Regente Antônio Correia Pinto.
Antigos Proprietarios (Compra): Manoel Barbosa Franco.
Confrontantes: Felix José Pereira (Coronel),José Carlos da Silva (Padre), Simão Barbosa Franco e João Antunes Pinto.

12/01/1774 - José Caetano de Souza - Restinga Seca.
Concedida da cidade de São Paulo, sendo Governador o Morgado de Mateus. Foi ouvida a Câmara da vila de Lages.
Antigos Proprietarios (Compra): Antônio de Souza Pereira (primeiramente povoado por Antônio Gonçalves Padilha)
Confrontantes: Manoel de Souza Passos (Alferes), José Raposo Pires (Alferes) , Mateus José de Souza e Antônio Correia Pinto de Macedo.

13/01/1774 – Manoel Antonio de Araújo – (Fazenda do Araújo).
Concedida da cidade de São Paulo, sendo Governador o Morgado de Mateus.
Antigos Proprietarios (Compra): José Gomes Valente (proprietário anterior: Antônio Correa Pinto de Macedo- Capitão Mor) e Antônio de Souza Pereira ( proprietário anterior: Antônio José Pereira- Capitão).
Confrontantes: Antônio de Souza Pereira, Manoel de Souza Passos (Alferes) e Sebastião Pinto da Cruz .

11/10/1775 – José Raposo Pires (José Furquim de Camargo) - Riberão das Pelotinhas.
Concedida da cidade de São Paulo, sendo Governador Paulo Martim Lopes Lobo de Saldanha. Foi ouvida a Câmara da vila de Lages.
Antigos Proprietarios (Posse): Campos devolutos, onde fundou uma fazenda havia 11 ou 12 anos (1764/63).
Confrontantes: Mateus José de Souza e Manoel de Souza Passos.
27/01/1779 – Manuel de Barros – Campos na Costa da Serra nas cabeceiras do rio Pelotas e do rio Lavatudo
Concedida da cidade de São Paulo, sendo Governador Martim Lopes Lobo de Saldanha
Antigos Proprietarios (Posse): Posse a 9 anos, por permissão do Capitão Mor do continente da vila de Lages. Foi ouvida a câmara da Vila.
Confrontantes: rio Pelotas, rio Lavatudo, tapera que foi do Padre José Carlos e Fazenda Bonsucesso

23/12/1785 - João da Costa Moreira (Capitão Mor de Laguna) - Tijucas.
Concedida da cidade de São Paulo, sendo Governador Francisco da Cunha e Menezes. Foi ouvida a Câmara da vila de Lages.
Antigos Proprietarios (Compra): Bento do Amaral Gurgel Annes (Capitão) e Bento Soares da Mota (Tenente)
Confrontantes: Pedro da Silva Ribeiro (Furriel).
08/03/1790 – Manuel Teixeira Oliveira Cardoso – campos principiando nos fins dos matos do Potreiro Grande e Potreiro de Nossa Senhora.
Concedida da cidade de São Paulo, sendo Governador Bernardo Jose de Lorena. Foi ouvida a câmara da vila de Lages.
Antigos Proprietarios (Posse) Campos devolutos
Confrontantes: Manuel Correa da Câmara

30/10/1790 – Bernardino da Costa Filgueira (Guarda Mor) - os Indios.
Concedida da cidade de São Paulo, sendo Governador Bernardo José de Lorena. Foi ouvida a Câmara da vila de Lages
Antigos Proprietarios (Posse).
Confrontantes: José do Amaral e José Gomes.

14 comentários:

  1. Cara Tânia

    Parabéns pelo blog muito caprichado e muito útil para a pesquisa histórica e genealógica !

    Abraço

    Ricardo Costa de Oliveira

    ResponderExcluir
  2. Olá Tânia!
    Deixei um resposta a sua mensagem no grupo de imigração alemã. Sou descendente de Gabriel Subtil de Oliveira e Maria do Carmo. Podemos trocar algumas informações sobre isto se estiver interessada. Procuro os antepassados de Gabriel e Maria do Carmo e também alguns dos descendentes. Vou deixar aqui meu email caso queira trocar informações sobre esse assunto.
    Um abraço
    Cristina
    cristina.iuskow@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. Henrique Brognoli - hbrognoli@gmail.com3 de agosto de 2009 20:42

    Vi seu o Blog, parabenizo por esta iniciativa. É bom saber que se tem uma fonte para coleta e comprovações de informações. Estou ajudando meu pai Manoel Cecílio Ribeiro Martins que detém uma parte da Fazenda do Socorro (recebida por herança de sua mãe que era bisneta de Manoel da Silva Ribeiro e Maria Benta de Souza), recompor as antigas divisas de 1776 antes das sucessivas grandes partilhas que ocorreram (1810, 1820, 1849, 1858, 1868 em 1900). Nosso estudo tem como objetivo fazer a conexão entre a engenharia topográfica no resgate histórico, já que somos engenheiros, baseado nos documentos e mapas de nosso acervo e informações complementares. Neste sentido gostaria de ter informações sobre documento mencionado no seu Blog, em que Manuel de Barros – Campos na Costa da Serra nas cabeceiras do rio Pelotas e do rio Lavatudo e que relata confrontações no rio Pelotas, rio Lavatudo, tapera que foi do Padre José Carlos e Fazenda Bonsucesso, já que este mesmo Manuel de Barros realizou trato amigável de composição em 1791 com Matheus José de Souza, sobre uma das divisas da Fazenda do Socorro. Um outro fato que levanto é que esta mencionada tapera que foi do Padre José já era quase uma lenda há 100 anos atrás. As outras delimitações em 1776 tais como a Fazenda Pelotas que a época pertenceu à Manoel da Silva Ribeiro, são conhecidas.

    ResponderExcluir
  4. Prezado Henrique,

    Sobre os campos de Manoel de Barros estamos encaminhando resposta específica para seu e-mail. Quanto a "tapera que foi do Padre Carlos" é um local que existiu à época, é fato e não lenda, e consta citado em diversos antigos documentos de Lages. Dentre tais documentos alguns constam da obra de Bogaciovas, objeto do nosso "post".

    ResponderExcluir
  5. Prezada Cristina

    Muito grata por sua visita!
    Postamos sua resposta no grupo de imigração alemã. Ficamos à disposição no que for possivel auxiliar no resgate da história da tradicional família Subtil de Oliveira a qual esteve estreitamente envolvida com os episódios referentes à Revolução Farroupilha na região de Lages/SC.

    ResponderExcluir
  6. Cara Tania sou descendente dos Cabral de
    Cordova ai do Cerro Negro e Campo Belo creio
    ser os Cordovas os primeiros povoadores do
    da Serra Catarinense. Me dê uma Luz nesse
    sentido. Admiro seu trabalho sou um genalogista iniciante que muito tem se ocupado de seus trabalhos. abçs. Paulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Prezado Paulo,

      Sobre os seus primeiros ancestrais lageanos só podemos auxiliar se nos fornecer ao menos alguns dados: nomes de avós, bisavós, algumas datas e lugares do interior ou Fazendas em que tenham vivido.

      O povoamento de Lages iniciou a partir de 1744, pelo menos, e em Fazendas diversas. A Póvoa (cidade) começou a ser organizada em 1766 e a Vila foi fundada em 1771.

      Os primeiros "Córdovas" estiveram por Lages em 1776/1777 mas apenas de passagem. Somente por volta de 1795 retornaram para Lages onde passaram a residir definitivamente.

      Excluir
  7. Cara Tânia, o padre José Carlos da Silva, proprietário em Bom Jardim da Serra de antigamente Lages, era paróco de Santo Antonio da Patrulha.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Bom dia Tânia,
    primeiramente te parabenizo pelo blog, importante fonte de pesquisa e de organização coerente.
    o que me trouxe até seu blog foi uma pesquisa sobre as Sesmarias na região de Lages, mais precisamente localizada na Freguesia de Baguaes ou Lapa, hoje pertencente ao município de Campo Belo do Sul, em suas citações acima encontrei que em 23/12/1785 - João da Costa Moreira (Capitão Mor de Laguna) - Tijucas.
    Concedida da cidade de São Paulo, sendo Governador Francisco da Cunha e Menezes. Foi ouvida a Câmara da vila de Lages.
    Antigos Proprietarios (Compra): Bento do Amaral Gurgel Annes (Capitão) e Bento Soares da Mota (Tenente)
    Confrontantes: Pedro da Silva Ribeiro (Furriel). Esta Sesmarias pode estar relacionada com a sesmarias que procuro, pelo fato de mencionar "Bento do Amaral Gurgel Annes, gostaria se possível mais detalhes sobre esta Sesmaria ou alguma outra que pertenceu a Freguesia de Baguaes ou Lapa.

    Fico no aguardo.

    Obrigado

    Julyo Gruber
    (49)3567-9957
    e-mail - arquivos.geoaster@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Julio,
      Obrigada pela visita e pela postagem neste blog.
      Estranho você referenciar "Lapa" como se estivesse em Campo Belo. Freguesia da Lapa, na época das Sesmarias, estava situada no Paraná.
      Bento do Amaral Gurgel Annes possuiu diversas fazendas em Lages. E elas não ficavam todas na região que hoje é Campo Belo do Sul.

      A Fazenda de Tijucas que você citou acima, por exemplo, ficava entre o que hoje é o Painel e São Joaquim,e seus negócios estavam mais ligados com Laguna do que com o Caminho das Tropas (para Sorocaba).

      Caso possa informar qual a Sesmaria que você procura e o nome do proprietário talvez possamos auxiliar melhor sua pesquisa.

      Sobre Sesmarias em Lages realmente o trabalho de Marcelo Bogaciovas é o mais completo já realizado e recomendo que o estude detalhadamente pois lá estào inclusive as confrontações e a citação das fontes (originais) consultados pelo autor.


      Tânia

      Excluir
  10. Ola Tania,

    eu encontrei seu blog enquanto pesquisava as origens da familia do meu pai, que e' da regiao conhecida como Coxilha Rica, municipio de Lages.

    Meu avo se chamava Valdemiro Antunes Hildebrando, nascido em 24 de agosto de 1909, era filho de Vidal Hildebrando dos Santos e Cecilia Antunes Lima. Sua irma, recentemente falecida, se chamava Cecilia Antunes Hildebrando de Arruda, e seu viuvo ainda esta vivo, com 90 anos, Aquilino de Arruda (tio Quila).

    O pai do meu avo se chamava Vidal Hildebrando dos Santos, nascido em 1876 e falecido em 1942, era filho de Jose Gregorio Hildebrando dos Santos (1836-1930) e de Ana dos Prazeres Cordova (1842-1876).

    O problema e' que, apesar de eu ter uma foto do meu tataravo Jose Gregorio, a unica coisa que sei e' que seus pais se chamavam Francisco Antonio Hildebrando dos Santos e Tomazia Maria da Conceicao.

    Meu pai, meu avo Valdemiro, meu bisavo Vidal, meu trisavo Jose Gregorio e meu tetravo Francisco Antonio, nasceram na regiao de Lages.

    Mas eu nao consigo encontrar a origem desta familia na regiao. Nao sei se sao portugueses, ou se sao antigos espanhois. Nao encontro nada e quando busco no Google, os nomes do Padre Hildebrando de Freitas (personagem da Historia do Rio Grande do Sul) e do atual medico lageano Hildebrando Nilton Reis, acabam atrapalhando a minha busca.

    Se voce tiver alguma informacao a respeito desse nome, Hildebrando, ou Hildebrando dos Santos, em Lages, seculo 18, voce poderia compartilhar comigo?

    Obrigado,


    Bruno Hildebrando
    brando2cad@yahoo.ca

    ResponderExcluir
  11. Prezado Bruno,

    José Gregório (Hidelbrando) dos Santos era natural de Ponta Grossa, Paraná. E seu pai era do Rio Grande do Sul. Encaminhei detalhes desta informação para seu e-mail nesta data. Obrigada por participar deste blog! Tania

    ResponderExcluir